Mice Online – Especialistas em Eventos

EnglishPortugueseSpanish

BLOG

Pista principal do Aeroporto de Congonhas será fechada para reformas

A pista principal do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, passará por obras de recuperação do pavimento asfáltico. Com investimento de R$ 11,5 milhões, a intervenção vai exigir o fechamento total da pista por 32 dias, devido à complexidade da obra. Serão alocadas equipes 24 horas por dia, 7 dias por semana. 

Durante as obras, entre 5 de agosto e 5 de setembro, a pista auxiliar continuará operando normalmente. No entanto, isso implicará em restrições operacionais para as companhias aéreas, que terão que voar com aeronaves menores. Enquanto a pista principal tem 1.940 metros, a auxiliar tem apenas 1.495 metros, quase meio quilômetro a menos, sendo uma das mais curtas pistas do Brasil

Por conta dessa restrição, a pista auxiliar só poderá receber aeronaves até categoria 3C, tais como o ATR-72 e Grand Caravan. Isso impede a GOL e a Latam de operarem no aeroporto durante as obras. Já a Azul e a VoePass possuem aeronaves compatíveis com a restrição de pista.

Aeronaves de porte maior, como Boeing 737 e Airbus 320 – que estão utilizando o Aeroporto de Congonhas como estacionamento neste período de redução de voos por conta da pandemia da Covid-19, poderão usar a pista auxiliar para voos de translado, apenas com tripulação, sem transportar passageiros.

A iniciativa irá melhorar a capacidade de drenagem da pista para um rápido escoamento da água de chuva, além de aumentar a aderência do pneu da aeronave ao pavimento.

A Infraero está aproveitando a queda na movimentação de passageiros e operações, em decorrência da pandemia da Covid-19, para adiantar o calendário de obras da empresa. No caso de Congonhas, a obra faz parte de manutenção periódica e servirá para garantir que aeroporto siga operando em condições normais, especialmente de segurança, pelos próximos 10 anos”, explica o superintendente do aeroporto de Congonhas, João Marcio Jordão.

De acordo com a Infraero, todas as ações de planejamento para a obra e para manutenção da segurança das operações foram alinhadas e desenvolvidas com a contribuição das companhias aéreas, Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Associação Brasileira de Aviação Geral (ABAG), Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), Secretaria de Aviação Civil e Agência Nacional de Aviação Civil.

As informações sobre cancelamento, transferência de voos e transporte entre os terminais devem ser obtidas diretamente com cada companhia aérea.

  

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Open chat
Olá! Em que posso ajudar?